Sábado, 18 Maio 2024

#informaçãoSEMfiltro!

Poema Escangalhado

-

Mário Jorge Santos

Presidente da Assembleia de Freguesia de Santa Marinha e Afurada

Dirigente Associativo

Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

Que linda foi a aurora
daquela madrugada…
aquela aurora de primavera
aquela aurora de cravos
aquela aurora de liberdade
aquela aurora de esperança.

Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

Ouve a nossa voz de angustia
e regressa abril
regressa depressa…
para que os velhos sejam respeitados
para que a cultura seja para todos
para que a justiça não seja uma miragem

Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

Vem depressa abril
não deixes os teus filhos abandonados
traz de novo contigo a esperança
o direito ao trabalho
o direito à saúde
o direito ao ensino

Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

Traz de novo contigo
os olhos cristalinos d’uma criança
que de alegria brilham
brilham como o ouro
brilham como o sol
brilham carregados de esperança

Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

Ouve o nosso grito de revolta
vê as lágrimas que escorrem no nosso rosto
sente o nosso aperto no coração
Como morremos de saudades de ti
como te esperamos ao dobrar da esquina
como te desejamos abril
Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

Onde quer que estejas vem
vem e fica para sempre
não nos deixes mais
queremos que sejas a estrela que nos guia
queremos que sejas o raiar da aurora
queremos que sejas sempre a nossa esperança

Abril, abril, abril…
Onde estás abril?

partilhar este artigo