17.5 C
Vila Nova de Gaia
Quinta-feira, Junho 17, 2021
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Exportações caem 2,2% e importações recuam 11,8% em outubro – INE

As exportações diminuíram 2,2% e as importações recuaram 11,8% em outubro, em termos homólogos nominais, após terem aumentado 0,2% e caído 8,8% em setembro, respetivamente, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com as Estatísticas do Comércio Internacional de outubro deste ano, a maioria das grandes categorias registaram decréscimos em ambos os fluxos, destacando-se, nas exportações, o decréscimo de ‘fornecimentos industriais’ (-5,9%) e o acréscimo de ‘material de transporte’ (+6,2%).

Já nas importações, o destaque vai para as diminuições de ‘combustíveis e lubrificantes’ (-36,9%), com origem principalmente em Angola, e de ‘material de transporte’ (-16,8%).

Excluindo os ‘combustíveis e lubrificantes’, as exportações e as importações diminuíram 1,3% e 8,9%, respetivamente (+0,8% e -4,6%, pela mesma ordem, em setembro de 2020).

No que respeita às variações face ao mês anterior, em outubro de 2020 as exportações e as importações aumentaram respetivamente 9,0% e 4,6% (+33,7% e +24,8%, pela mesma ordem, em setembro de 2020).

O défice da balança comercial de bens, por sua vez, diminuiu 733 milhões de euros face ao mês homólogo de 2019, atingindo 965 milhões de euros em outubro.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 687 milhões de euros, correspondente a uma diminuição do défice de 511 milhões de euros em relação a outubro de 2019.

No trimestre terminado em outubro de 2020, as exportações e as importações de bens diminuíram respetivamente 1,4% e 10,2% face ao trimestre terminado em outubro de 2019 (-3,2% e -13,4%, pela mesma ordem, no terceiro trimestre de 2020).

De acordo com o INE, em outubro, tendo em conta os principais países de destino em 2019, nas exportações destacam-se face a outubro de 2019 as diminuições para Angola (-41,4%), Estados Unidos (-12,7%) e Reino Unido (-8,4%).

Nas importações “registaram-se decréscimos na maioria dos principais parceiros”, destacando-se as diminuições de Espanha (-7,8%) e de França (-28,1%), principalmente ‘outro material de transporte’ (maioritariamente aviões).

No que se refere aos Índices Trimestrais de Valor Unitário do Comércio Internacional, os resultados do terceiro trimestre de 2020, apurados com base nas estatísticas do Comércio Internacional de Bens relativas a setembro de 2020, divulgadas a 40 dias (em 09 de novembro de 2020), verificam-se variações negativas no índice de valor unitário quer das exportações (-3,4%), quer das importações (-5,4%).

Segundo o INE, no terceiro trimestre de 2020, o efeito dos preços dos produtos petrolíferos foi novamente mais intenso nas importações do que nas exportações: Excluindo os produtos petrolíferos, os índices de valor unitário registaram variações homólogas de -1,8% e -2,5% nas exportações e nas importações, respetivamente.

“O ganho nos termos de troca (preço relativo das exportações em termos das importações) verificou-se pelo segundo trimestre consecutivo, no entanto com valores inferiores aos registados no trimestre anterior”, conclui o instituto estatístico.

Outras Notícias

Siga-nos

12,172FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Opinião

Bloco de Notas

Avenida da República

Resiliência

O Desapego

X