Domingo, 14 Abril 2024

#informaçãoSEMfiltro!

Confirmada estação de TGV em Vila Nova de Gaia

-

A alta velocidade vem mesmo para Portugal, e Vila Nova de Gaia vai ter uma estação, permitindo aos gaienses apanhar o comboio de alta velocidade em Gaia, e não terem de se deslocar ao Porto ou a Aveiro para apanhar este comboio.

Conforme avançam notícias pela internet, o Presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, na passada sexta-feira, dia 4 de fevereiro, contrariamente ao projeto original de 2009, os habitantes de Gaia não têm que se deslocar a Aveiro ou a Campanhã, no Porto, pois em Stº Ovídio terá lugar uma estação adaptada para este tipo de comboio de alta velocidade.        

“Ninguém nos perdoaria se em Santo Ovídio não tivéssemos uma grande Montparnasse (estação parisiense de onde partem TGVs para toda a França) da região Norte e de Vila Nova de Gaia”, refere o Presidente da Câmara de Gaia, no decorrer da Assembleia Municipal de Vila Nova de Gaia.

Acrescentando, “Neste momento, ninguém compreenderia que, podendo ajustar a passagem da linha a Santo Ovídio, não houvesse um interface com as duas linhas de metro e um interface com o transporte público, transformando Santo Ovídio numa grande central distribuidora de utilizadores.”

Segundo fonte da Lusa citado pela RTP, Eduardo Vítor Rodrigues explica que o processo de diálogo com a Infraestrutura de Portugal, proprietária da obra, ficou concluído no outono de 2021. Embora a versão original do traçado do TGV não tivesse uma paragem em Vila Nova de Gaia, o autarca defende que aquela estrutura é “absolutamente decisiva”.

“Aquilo que me competiu, foi durante este tempo, provar que fazia todo sentido uma dupla paragem neste contexto. A travessia não é paralela ao mar, é uma linha totalmente nova, mas é uma linha que desvia o TGV da orla marítima onde neste momento circula o comboio de alta velocidade, em Espinho e Gaia, para o interior do concelho”, argumenta.

“Para nós era absolutamente decisivo ter uma estação em Gaia, ninguém compreenderia que o município mais populoso da área metropolitana tivesse que se fazer deslocar-se para Campanhã ou para Aveiro”, remata o autarca.

partilhar este artigo