10.7 C
Vila Nova de Gaia
Segunda-feira, Maio 10, 2021
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Beast regressa ao Porto em edição presencial com produções portuguesas no estrangeiro

O festival Beast, dedicado ao cinema dos países de Leste, regressa ao Porto até 03 de junho após um primeiro momento ‘online’, levando programação inédita de portugueses a trabalhar no estrangeiro.

A programação em espaços físicos, do Cinema Trindade à Casa das Artes ou o Maus Hábitos, entre outros, arranca na quinta-feira e atravessa vários dos filmes que marcaram presença na plataforma ‘online’ Filmin, vários dos premiados da presente quarta edição e ainda a secção “Portuguese Abroad” (“Portugueses no estrangeiro”).

A sessão de abertura na Internet replica-se em sala, no Cinema Passos Manuel, na quinta-feira, com a longa “Ivana The Terrible”, segundo filme de Ivana Mladenovic, uma obra entre o documentário e a ficção do país em destaque deste ano, a Roménia.

Ao todo, são 16 exibições únicas que projetarão “não apenas os destaques da programação ‘online’, bem como filmes ainda inéditos para aqueles que acompanharam a quarta edição do Beast do conforto de suas casas”, pode ler-se num comunicado do festival.

A organização, a cargo da associação cultural OKNA, em coprodução com a Câmara do Porto e apoio de várias instituições, dá conta de que na Internet, em março, “o festival superou a marca das 10.000 visualizações e provou a viabilidade de uma experiência ‘online’ enriquecedora”, depois de ser ‘forçada’ a isso devido à pandemia de covid-19.

O principal destaque presencial é a secção “Portuguese Abroad”, que terá duas sessões na Casa das Artes, nos dias 06 e 08 de maio, a primeira delas destinada ao realizador e ator luso-guineense Welket Bungué.

Em parceria com o Cineclube do Porto, serão apresentadas, na primeira sessão, cinco curtas-metragens que realizou entre 2016 e 2020: “Bastien” (2016), “Ex Exploiter Expropriator” (2016), “Aginal” (2018), “Run If You Can, Dance If You Dare” (2019) e “Cacheu Cutum” (2020).

No dia 08, a sessão traz ao Porto a longa metragem de 2018 “Drvo” (“A Árvore”), de André Gil Mata, que regressa ao festival após ter marcado presença na primeira edição.

O filme do realizador portuense “retrata a solidão presente na sombra da Guerra dos Balcãs”, numa obra rodada inteiramente na Bósnia.

O Passos Manuel recebe sessões todas as quintas-feiras até 03 de junho, num formato distendido no tempo, com o Maus Hábitos a receber duas sessões, no dia 05 e 12 de maio. Na primeira, exibirá as curtas e médias metragens vencedoras.

A Polónia arrecadou dois dos prémios do festival, com “Pure Art”, de Maksim Shved, nos documentários, e “The Close River”, de Marta Hryniuk, na categoria experimental.

O Prémio “East Wave” foi para “Shit Happens”, uma produção da República Checa realizada por Michaela Mihalyi e David Stumpf.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Outras Notícias

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Siga-nos

12,145FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Opinião

X