17.5 C
Vila Nova de Gaia
Quinta-feira, Junho 17, 2021

Balanço das presidenciais

Eduardo Vítor Rodrigues

Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia

As eleições presidenciais de 2021 mostraram que a democracia está viva. A participação das pessoas foi significativa em termos absolutos. Só as percentagens parecem menos positivas, mas apenas se esquecermos que temos mais de 1 milhão de eleitores nos cadernos, incrementando o universo eleitoral, mas que não participou na eleição, criando a ilusão do aumento da abstenção. Não aumentou e, apesar do contexto da pandemia, os cidadãos deram um sinal claro de participação e de empenho democrático.

Os resultados mostram que os portugueses, em geral, e o eleitorado do PS, em particular, são claramente moderados e não se deixam impressionar pelos apelos extremistas, mesmo quando visavam combater outros extremismos. O extremismo não se combate com o extremismo, mas com a moderação e com o reformismo democrático.

E, por isso, António Costa é um grande vencedor. Apostou na estabilidade e no sentido de Estado, fugiu da partidarite e pensou na preservação das instituições no quadro de muitas dificuldades que o país tem para gerir nos próximos anos.

Os portugueses não são do centrão, são moderados. Não são apáticos, são tolerantes. Não querem ruturas, querem mudanças. Não precisam de moralistas, têm valores e princípios.

Fica evidente a forma penalizante como os portugueses reagiram a quem tentou usar as eleições presidenciais para criar instabilidade e para fazer combate direto ao governo, ao primeiro-ministro e ao secretário-geral António Costa. O país precisa de paz e de estabilidade para superar a crise e devolver a esperança aos portugueses.

É claro que o país passa a ter a extrema-direita com uma representação relevante. Isso deve fazer-nos refletir, porque é um sinal das pessoas. O sistema político e o modelo de desenvolvimento apresentam problemas que importa identificar e ajustar, promovendo mudanças que se exigem, sempre a partir do sistema democrático e das suas instituições.

Os radicalismos só crescem quando a democracia moderada e tolerante fracassa. Não é plausível que se permita, pela inércia ou pela distração, o crescimento dos extremismos e as ameaças que incorporam. Esse é o desafio.

O nosso país é extraordinário, as pessoas são excelentes; tenho um grande passado e teremos um grande futuro, tão risonho quanto mais formos capazes de dar respostas adequadas aos problemas das pessoas.

Ao grande vencedor, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, com quem pude privar neste caminho, como seu apoiante, desejo saúde e felicidades neste caminho que vai percorrer, para bem de Portugal e dos portugueses.

Enfim, foi Portugal que ganhou. É o que mais importa.

Este conteúdo é apenas para assinantes

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Siga-nos

12,172FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

«Arqueobotânica com vista para o Douro: frutos e sementes do sítio do Rei Ramiro, em Vila Nova de Gaia» no encontro de arqueólogos em...

Arqueólogos reúnem-se, esta semana, em Palmela, numas jornadas aguardadas com expectativa por causa de novidades a apresentar, sobre escavações em Portugal e em Espanha,...

Rancho Folclórico da Afurada assinala 86 anos de existência

O Rancho Folclórico da Afurada assinalou esta manhã 86 anos de existência, numa cerimónia simples mas de elevado simbolismo, que contou com a presença,...

I Liga da época 2021/22 arranca no fim de semana de 07 e 08 de agosto

A I Liga de futebol da época 2021/22 arranca no fim de semana de 07/08 agosto e termina no de 14/15 de maio do...

Detenção por crime de falsificação de matrículas em Oliveira do Douro

Um homem de 36 anos, vendedor de automóveis, foi detido no domingo pela PSP, na Rua do Anel, em Oliveira do Douro, quando conduzia...

Homem detido por posse ilegal de armas

O Comando Metropolitano do Porto anunciou hoje que a PSP de Vila Nova de Gaia deteve no domingo um motorista, de 41 anos, suspeito...

Mais artigos de

Opinião

X