arquivoNovo projeto EcoEconomy 4.0 da AEP apoia transição energética...

Novo projeto EcoEconomy 4.0 da AEP apoia transição energética e ambiental das PME

-

- Advertisment -spot_img

O novo projeto EcoEconomy 4.0, promovido pela Associação Empresarial de Portugal (AEP), propõe-se usar as tecnologias digitais da Indústria 4.0 para “reduzir o baixo conhecimento” das PME industriais das regiões Norte, Centro e Alentejo.

Orçado em mais de 700 mil euros, o projeto será apresentado na terça-feira e irá apostar em “áreas que constituem fatores críticos de inovação e competitividade sustentável, usando as tecnologias digitais da Indústria 4.0”, para apoiar as pequenas e médias empresas (PME) destas regiões economicamente mais desfavorecidas.

Segundo adiantou à agência Lusa fonte oficial da AEP, com o EcoEconomy 4.0 a associação pretende “mobilizar a força motriz da economia portuguesa para potenciar o cumprimento das metas nacionais e europeias, mostrando às empresas a importância de adotarem comportamentos numa lógica de economia regenerativa”.

O projeto apoia “o universo empresarial mais carente de intervenção, designadamente as PME, e atua no Norte, Centro e Alentejo, embora se esperem impactos positivos a nível nacional, tendo em conta os efeitos de disseminação previstos”, precisou.

O EcoEconomy 4.0 irá focar-se em dois domínios temáticos com impacto na pegada carbónica (emissão de carbono) e na produtividade dos materiais (relação entre o consumo de materiais na economia e o Produto Interno Bruto (PIB)): a descarbonização/transição energética e a economia circular.

“Como área transversal, o projeto incluiu a análise das tecnologias digitais da Indústria 4.0, originando um triângulo crítico de inovação e competitividade sustentável, indutores de uma subida na cadeia de valor”, refere a AEP.

Entre os principais objetivos do EcoEconomy 4.0 estão, assim, “diagnosticar a situação atual das PME industriais” das regiões abrangidas e “as suas necessidades mais prementes em matéria de sustentabilidade ambiental”, para então “definir as áreas prioritárias de atuação” no âmbito da descarbonização/transição energética e da economia circular, bem como as tecnologias digitais da Indústria 4.0 que mais potenciam o desenvolvimento nessas áreas.

O projeto propõe-se ainda criar e disponibilizar ferramentas de diagnóstico e autoavaliação que permitam às PME fazerem um ‘benchmarking’ setorial e evidenciarem as áreas de intervenção com maior potencial (em termos económicos e ambientais), assim como informação de ‘benchmarking’ nacional e internacional “que inspire a criação de soluções inovadoras e aplicáveis a empresas”.

As prioridades passam ainda por “desmistificar ideias erradas que persistem nas mentes de empresários e gestores” nos domínios da descarbonização/transição energética e da economia circular, criar ferramentas que os ajudem a implementar novas soluções nestas áreas e promover redes de negócios compostas por PME e “orientadas para a exploração de oportunidades de sinergias, nomeadamente no domínio das simbioses industriais e na partilha de boas práticas de negócio”.

Em declarações à Lusa, o presidente da AEP disse acreditar que o novo projeto “será capaz de atrair mais empresas para o processo” e que “os impactos das atividades a desenvolver se farão sentir no tecido empresarial, tornando-o mais sustentável e competitivo”.

“Tendo em conta que os planos nacionais de recuperação e resiliência vão dedicar pelo menos 37% dos gastos totais a investimentos e reformas que apoiem os objetivos climáticos, a AEP considera que o EcoEconomy 4.0 contribuirá ativamente para fazer chegar esta mensagem às PME portuguesas, garantindo uma transição justa e inclusiva, condição necessária para o sucesso”, salientou Luís Miguel Ribeiro.

O projeto EcoEconomy 4.0 é cofinanciado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, através do Portugal 2020 e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Latest news

AMP quer ‘plano B’ para transportes caso diferendo com Gondomar não se resolva

O presidente do Conselho Metropolitano do Porto (CmP) assegurou hoje que vai levar até “às últimas consequências o esforço...

Assistente administrativa detida por burla

A PSP deteve em Vila Nova de Gaia, uma assistente administrativa por alegada falta de pagamento de serviços prestados,...

Suldouro retoma este mês entrega de contentores para reciclagem em Gaia

A Suldouro, operadora de resíduos nos concelhos de Vila Nova de Gaia e Santa Maria da Feira, garantiu hoje...

Mulher morre atropelada por autocarro na N222 em Vilar de Andorinho

Uma mulher de cerca de 80 anos morreu hoje depois de ter sido atropelada por um autocarro em Vilar...
- Advertisement -spot_imgspot_img

Lançado concurso público de conceção e construção da nova ponte sobre o rio Douro

O concurso público de conceção e construção da nova ponte rodoviária sobre o Douro, que vai ligar o Porto...

Pontos essenciais das variantes classificadas de preocupação presentes em Portugal

Das centenas de mutações do SARS-CoV-2 detetadas durante a pandemia, a atenção das autoridades de saúde recai em quatro...

Must read

- Advertisement -spot_imgspot_img

You might also likeRELATED
Recommended to you