22.7 C
Los Angeles
Quarta-feira, Maio 18, 2022

PUTLER tornou a Guerra nossa

  Estamos em Guerra.  Não é uma coisa deles,...

3D: Ditadura do dualismo digital

As cores, aprendemos na escola, resultam de...

Uma águia que faz das tripas coração

Não há jogos que salvem temporadas, até...
InícionotíciasarquivoBeast regressa ao Porto em edição presencial com produções portuguesas no estrangeiro

Beast regressa ao Porto em edição presencial com produções portuguesas no estrangeiro

O festival Beast, dedicado ao cinema dos países de Leste, regressa ao Porto até 03 de junho após um primeiro momento ‘online’, levando programação inédita de portugueses a trabalhar no estrangeiro.

A programação em espaços físicos, do Cinema Trindade à Casa das Artes ou o Maus Hábitos, entre outros, arranca na quinta-feira e atravessa vários dos filmes que marcaram presença na plataforma ‘online’ Filmin, vários dos premiados da presente quarta edição e ainda a secção “Portuguese Abroad” (“Portugueses no estrangeiro”).

A sessão de abertura na Internet replica-se em sala, no Cinema Passos Manuel, na quinta-feira, com a longa “Ivana The Terrible”, segundo filme de Ivana Mladenovic, uma obra entre o documentário e a ficção do país em destaque deste ano, a Roménia.

Ao todo, são 16 exibições únicas que projetarão “não apenas os destaques da programação ‘online’, bem como filmes ainda inéditos para aqueles que acompanharam a quarta edição do Beast do conforto de suas casas”, pode ler-se num comunicado do festival.

A organização, a cargo da associação cultural OKNA, em coprodução com a Câmara do Porto e apoio de várias instituições, dá conta de que na Internet, em março, “o festival superou a marca das 10.000 visualizações e provou a viabilidade de uma experiência ‘online’ enriquecedora”, depois de ser ‘forçada’ a isso devido à pandemia de covid-19.

O principal destaque presencial é a secção “Portuguese Abroad”, que terá duas sessões na Casa das Artes, nos dias 06 e 08 de maio, a primeira delas destinada ao realizador e ator luso-guineense Welket Bungué.

Em parceria com o Cineclube do Porto, serão apresentadas, na primeira sessão, cinco curtas-metragens que realizou entre 2016 e 2020: “Bastien” (2016), “Ex Exploiter Expropriator” (2016), “Aginal” (2018), “Run If You Can, Dance If You Dare” (2019) e “Cacheu Cutum” (2020).

No dia 08, a sessão traz ao Porto a longa metragem de 2018 “Drvo” (“A Árvore”), de André Gil Mata, que regressa ao festival após ter marcado presença na primeira edição.

O filme do realizador portuense “retrata a solidão presente na sombra da Guerra dos Balcãs”, numa obra rodada inteiramente na Bósnia.

O Passos Manuel recebe sessões todas as quintas-feiras até 03 de junho, num formato distendido no tempo, com o Maus Hábitos a receber duas sessões, no dia 05 e 12 de maio. Na primeira, exibirá as curtas e médias metragens vencedoras.

A Polónia arrecadou dois dos prémios do festival, com “Pure Art”, de Maksim Shved, nos documentários, e “The Close River”, de Marta Hryniuk, na categoria experimental.

O Prémio “East Wave” foi para “Shit Happens”, uma produção da República Checa realizada por Michaela Mihalyi e David Stumpf.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

últimas notícias

outras notícias