22.7 C
Los Angeles
Quarta-feira, Maio 18, 2022

PUTLER tornou a Guerra nossa

  Estamos em Guerra.  Não é uma coisa deles,...

3D: Ditadura do dualismo digital

As cores, aprendemos na escola, resultam de...

Uma águia que faz das tripas coração

Não há jogos que salvem temporadas, até...
InícionotíciasarquivoPEV defende campanha de sensibilização sobre 'cyberbullying'

PEV defende campanha de sensibilização sobre ‘cyberbullying’

O Partido Ecologista “Os verdes” (PEV) pediu ao Governo o relatório final ao grupo de trabalho “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência” e recomendou o lançamento de uma campanha de sensibilização sobre o ‘cyberbullying’.

Em comunicado, o PEV esclarece que entregou na Assembleia da República o projeto de resolução nº.993/XIV/2ª, assinado pelos deputados Mariana Silva e José Luís Ferreira, que defende eficácia na prevenção e combate ao cyberbullying.

“Os Verdes” querem ainda que o relatório final com os resultados alcançados, as eventuais recomendações e propostas de atuação seja enviado à Assembleia da República.

Além disso, os parlamentares defendem o lançamento de uma campanha “urgente” de sensibilização e consciencialização sobre o cyberbullying e os modos de atuação perante esse fenómeno de violência.

A campanha deve ser dirigida, particularmente, às crianças e jovens, sublinharam.

Para o PEV, a iniciativa deve ser específica para o período em que vigoram as medidas de prevenção, contenção, tratamento e combate à pandemia de covid-19, ressalvou o partido, numa altura em que as aulas decorrem online.

De futuro, o PEV quer que o Governo tome as medidas necessárias para que o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) desagregue, dentro da violência em contexto escolar, os diferentes tipos de violência registados, incluindo o bullying e o cyberbullying, para que se conheça melhor esta realidade.

Em 20 de outubro de 2020, numa escola no distrito de Santarém, os ministros da Educação e da Administração Interna realçaram o papel das forças segurança no combate ao cyberbullying, que “cresceu durante os tempos de pandemia e é hoje uma prioridade de ação do programa Escola Segura”.

“Quisemos estar aqui a dizer que a violência não é aceitável nas nossas escolas e que a Escola Segura, um dos parceiros do nosso sistema educativo, é também um companheiro para lutarmos todos os dias contra a violência e contra o bullying”, afirmou então Tiago Brandão Rodrigues, no final de uma sessão em que entregou o certificado de participação no projeto “Escola Sem Bullying, Escola Sem Violência”, ao qual aderiram 52 agrupamentos de escolas de todo o país.

A 09 de fevereiro, Dia Europeu da Internet mais Segura, a Polícia de Segurança Pública (PSP) e a Guarda Nacional Republicana (GNR) alertaram os cidadãos para a necessidade de uma utilização segura e responsável da internet e dos telemóveis, especialmente os mais jovens.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

últimas notícias

outras notícias