22.7 C
Los Angeles
Quarta-feira, Maio 18, 2022

PUTLER tornou a Guerra nossa

  Estamos em Guerra.  Não é uma coisa deles,...

3D: Ditadura do dualismo digital

As cores, aprendemos na escola, resultam de...

Uma águia que faz das tripas coração

Não há jogos que salvem temporadas, até...
InícionotíciasarquivoPensamentos do MAR

Pensamentos do MAR

Manuel António Ribeiro

Presidente da AMARGAIA

A sociedade que temos e a que sociedade estamos a criar levanta-nos tantas questões como já é no presente e como será no futuro?!

Dificilmente voltaremos a ter famílias numerosas, como no tempo dos nossos avós e mesmo dos nossos pais!

Tudo muda. A sociedade muda. Mas fica tanta coisa para trás..!

As mudanças por vezes trazem vantagens. E isso é inegável! Mas quantos casais voltaram a ter 5,7,8,10 filhos? Dificilmente haverá algum casal que possa chegar lá!

Ninguém nega que a escolaridade obrigatória, até ao 12° ano, é uma vantagem para aprendizagem de qualquer jovem ou de qualquer aluno. Mas o processo de formação e de preparação para o mercado de trabalho será um processo mais tardio.  Numa sociedade em que o estudo académico tem um foco primordial ficam para trás necessidades de profissões que a mão de obra escasseia. Profissões e artes de trabalho duro que eram e são feitos por pessoas que na maioria começou jovem a desenvolver a arte.

Com a formação e a preparação para o mercado de trabalho, cada vez mais tarde, retarda-se também o projeto de vida familiar. Prolongando-se a estadia em casa dos pais, até que a oportunidade e as condições ideias ou espertáveis surgiam!

No caso da mulher este retardar do tempo, é fatídico, pois a natureza não lhe dá o tempo que dá ao homem!

São tudo transformações da nossa sociedade que transformam hábitos, costumes e formas de impacto diferentes de viver! O mundo será diferente daqui a 100 anos. Não tenho dúvida!

A nossa economia, a nossa indústria, bem como outros setores empresariais, precisam de mão de obra qualificada mas capaz de desenvolver tarefas mais duras e apuradas. E caso não queiramos estar dependentes só de mão de obra do estrangeiro, o mercado de trabalho terá de ter uma mudança capaz de responder às necessidades de hoje, mas principalmente às respostas fundamentais que vão surgir aquando da retoma económica, após sair-mos da pandemia!

A natalidade é fundamental para o equilíbrio gestacional de qualquer país. A demografia é um equilíbrio de desenvolvimento que permite aos territórios criarem condições de crescimento sustentável para uma vida melhor de cada cidadão que comparticipa para esse mesmo desenvolvimento!

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

últimas notícias

outras notícias