22.7 C
Los Angeles
Quarta-feira, Maio 18, 2022

PUTLER tornou a Guerra nossa

  Estamos em Guerra.  Não é uma coisa deles,...

3D: Ditadura do dualismo digital

As cores, aprendemos na escola, resultam de...

Uma águia que faz das tripas coração

Não há jogos que salvem temporadas, até...
InícioEstudantes de Erasmus no Porto produzem vídeo contra a violência no namoro

Estudantes de Erasmus no Porto produzem vídeo contra a violência no namoro

Doze estudantes de Erasmus no Porto criaram um vídeo contra a violência no namoro que será lançado no fim de semana nas redes sociais, disse à Lusa Márcia Branco, da Erasmus Student Network (ESN) Porto.

Resultado de uma parceria entre a Associação Democrática dos Direitos e Interesses das Mulheres (ADDIM) e a ESN Porto, a iniciativa juntou 12 estudantes de Erasmus provenientes de Itália, Espanha, Brasil e Cabo Verde, a que se juntaram portugueses, numa produção com tradução em português e inglês, acrescentou a fonte.

Produzido sob a temática “O amor é!” no âmbito do Dia dos Namorados que se celebra no domingo, os intervenientes, de vários géneros, credos e orientações sexuais foram desafiados a deixar uma mensagem na sua língua-mãe que começasse pelas palavras do tema proposto, sempre que possível com uma imagem por si escolhida projetada atrás, explicou a voluntária da ESN Porto.

Sandra Ngokwey, estudante cabo-verdiana, expressou-se em lingala, dialeto do Congo, respondendo ao desafio com a frase “O amor é o melhor e o único caminho”, enquanto o italiano Davide Rociola contou que “O amor está nas pequenas coisas, em fazer algo para alguém sem esperar nada em troca. Como quando cozinho pasta para alguém que amo”.

A frase de Sandra surge acompanhada de uma fotografia sua enquanto Davide preferiu alguém a cozinhar para ilustrar a sua mensagem, acrescentou.

O vídeo estará disponível na página da ADDIM no Facebook e nas redes sociais da ESN Porto, revelou.

Números revelados na sexta-feira pela UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta sobre a violência no namoro dá conta que “58% dos/as jovens reportam já ter sofrido pelo menos uma forma de violência no namoro e que 67% dos/as jovens legitimam esses comportamentos, ou seja, não os reconhece como abusivos”, destacou Carla Branco, presidente da ADDIM.

Sobre as formas de violência mais legitimadas, a responsável da associação disse serem a “perseguição, violência psicológica, violência sexual, controlar telemóvel, com quem sai, controlar amigos e redes sociais”

“Há uma elevada legitimação da violência do namoro, como tal, consideramos urgente continuarmos a trabalhar nas escolas com crianças e jovens pois esta violência é precursora da violência na intimidade adulta”, alertou.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

últimas notícias

outras notícias