arquivo“Devemos fazer tudo no combate à pandemia mas guardar...

“Devemos fazer tudo no combate à pandemia mas guardar os recibos”

-

- Advertisment -spot_img

O ex-ministro das Finanças, Vítor Gaspar, que agora ocupa o cargo de Diretor de Assuntos Orçamentais do Fundo Monetário Internacional (FMI) disse que deve ser feito “tudo no combate à pandemia, mas guardar os recibos”, na apresentação do ‘Fiscal Monitor’.

O responsável, que falou em conferência de imprensa para dar conta das atualizações de janeiro do relatório sobre política orçamental, referindo-se ao caso da Europa, vincou a importância de medidas atempadas e da rapidez, destacando o fundo de resiliência e recuperação que mostra a importância do investimento “verde”, bem como da digitalização, mas não deixou de apontar a necessidade de “responsabilização” e documentação “apropriada”.
“Devemos fazer tudo o possível para combater a covid-19, mas guardar os recibos”, destacou, salientando que o que está em causa “é o crescimento e a competitividade da economia” e, por isso, “é importante que estes recursos sejam bem gastos”, aconselhando a Europa a “encontrar o equilíbrio certo”.
Por sua vez, Paolo Mauro, diretor adjunto, questionado sobre a situação em Portugal, disse que o FMI não tinha, neste momento, dados novos, mantendo as projeções de outubro, com uma dívida estimada de mais de 130% do Produto Interno Bruto (PIB) no fim de 2020, mas antecipou um agravamento do défice para 2021 face ao estimado, que era de 2,7%.
“Temos novos desenvolvimentos: a pandemia intensificou-se, o crescimento de 2021 foi revisto em baixa” e há um novo orçamento, salientou Paolo Muro, ressalvando, no entanto, que para 2020 “o crescimento será um pouco menos afetado” do que o FMI projetava há uns meses”.
Ainda assim, realçou, esta dívida é “uma das maiores na zona euro” e o défice em 2021 deverá ser maior do que o projetado há uns meses.
Vítor Gaspar, por sua vez, realçou que a “covid-19 não estará sob controlo em lado nenhum enquanto não estiver controlada em todo o lado”, apontando como prioridades a disponibilidade de vacinas, o alívio da dívida e a concessão de financiamento para os países emergentes.
O diretor do FMI disse ainda que não tem datas para uma alteração das políticas orçamentais, indicando que é “crucial” continuar os apoios enquanto a covid-19 se mantiver.
Alertando ainda para a “necessidade de lidar com as heranças de dívida pública”, Vítor Gaspar alertou que a pandemia “será um choque transformacional”, que o FMI gostava que “fosse usado como oportunidade” para um modelo de crescimento inteligente e resiliente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Latest news

AMP quer ‘plano B’ para transportes caso diferendo com Gondomar não se resolva

O presidente do Conselho Metropolitano do Porto (CmP) assegurou hoje que vai levar até “às últimas consequências o esforço...

Assistente administrativa detida por burla

A PSP deteve em Vila Nova de Gaia, uma assistente administrativa por alegada falta de pagamento de serviços prestados,...

Suldouro retoma este mês entrega de contentores para reciclagem em Gaia

A Suldouro, operadora de resíduos nos concelhos de Vila Nova de Gaia e Santa Maria da Feira, garantiu hoje...

Mulher morre atropelada por autocarro na N222 em Vilar de Andorinho

Uma mulher de cerca de 80 anos morreu hoje depois de ter sido atropelada por um autocarro em Vilar...
- Advertisement -spot_imgspot_img

Lançado concurso público de conceção e construção da nova ponte sobre o rio Douro

O concurso público de conceção e construção da nova ponte rodoviária sobre o Douro, que vai ligar o Porto...

Pontos essenciais das variantes classificadas de preocupação presentes em Portugal

Das centenas de mutações do SARS-CoV-2 detetadas durante a pandemia, a atenção das autoridades de saúde recai em quatro...

Must read

- Advertisement -spot_imgspot_img

You might also likeRELATED
Recommended to you