Inicio Blog

AMP quer ‘plano B’ para transportes caso diferendo com Gondomar não se resolva

0

This content is restricted to subscribers

Assistente administrativa detida por burla

0

A PSP deteve em Vila Nova de Gaia, uma assistente administrativa por alegada falta de pagamento de serviços prestados, anunciou hoje a força de segurança.

Em comunicado, a polícia explica que a detenção ocorreu na sequência de uma notícia que dava conta de falta de pagamento por serviços prestados.

Quando a PSP chegou local conseguiu apurar que a detida se instalou há alguns dias num hotel e frequentou dois restaurantes, sem ter ainda ter feito o pagamento.

A polícia apurou ainda que a suspeita não possui residência fixa em Portugal e “faz modo de vida do crime de burla para obtenção deste tipo de serviços”, acrescenta.

Suldouro retoma este mês entrega de contentores para reciclagem em Gaia

0

A Suldouro, operadora de resíduos nos concelhos de Vila Nova de Gaia e Santa Maria da Feira, garantiu hoje que vai retomar este mês a distribuição dos contentores para reciclagem, suspensa há cerca de quatro meses.

Em resposta escrita enviada à agência Lusa, na sequência de queixas de moradores e novos residentes em Gaia, a Suldouro apontou que “está previsto retomar a distribuição dos contentores durante o presente mês, no sentido de dar resposta aos pedidos de adesão rececionados desde fevereiro até à data”.

“Caso assim o pretendam, os Munícipes residentes nas freguesias supra mencionadas [freguesias que integram o projeto-piloto], poderão solicitar o agendamento para integração da sua residência na recolha seletiva porta a porta”, lê-se na resposta enviada à Lusa.

Em causa, no que diz respeito a Vila Nova de Gaia, as freguesias de Arcozelo, Canidelo, Canelas, Grijó, Gulpilhares, Madalena, Olival, Pedroso, Perosinho, Sandim, São Félix da Marinha, São Pedro da Afurada, Seixezelo, Sermonde, Serzedo, Valadares, Vilar de Andorinho e Vilar do Paraíso.

O serviço de entrega de contentores de reciclagem esteve suspenso entre fevereiro e maio.

A empresa justificou esta suspensão com o cumprimento ao plano de contingência com vista à prevenção e controlo da pandemia da covid-19.

Esta suspensão também já tinha ocorrido no ano passado.

Mas, acrescenta a empresa, “atendendo à melhoria da situação pandémica do país, está previsto retomar a distribuição dos contentores”.

Este serviço está integrado no projeto de recolha seletiva denominado “Porta-a-Porta”, que tem como objetivo incentivar os residentes a fazerem a reciclagem “de forma fácil e cómoda”, como é descrito no ‘site’ da empresa.

A Suldoudo descreveu, ainda, que atendendo às metas definidas no PERSU – Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos 2020, este projeto-piloto de recolha seletiva teve início em 2016 em zonas acordadas com os Municípios abrangidos, ou seja Vila Nova de Gaia (distrito do Porto) e Santa Maria da Feira (distrito de Aveiro).

“Perante os resultados obtidos no mesmo e a capitação obtida pela recolha de proximidade concluiu-se que seria necessário abranger cerca de 45.000 habitações para cumprir a meta estipulada de 45 quilos de retomas por habitante por ano”, descreve a empresa.

O projeto abrange “neste momento cerca de 35.000 habitações, o que representa um total de cerca 111.000 habitantes abrangidos”, acrescentou.

No âmbito do “Porta-a-Porta” os residentes interessados recebem três contentores para recicláveis de papel e cartão (tampa azul), plástico e metal (tampa amarela), bem como vidro (tampa verde).

Na prática, o projeto traduz-se em criar ecopontos individuais nas habitações e o material é recolhido em dias e horários definidos para o efeito.

O tratamento posterior do lixo cabe à Suldouro, enquanto ao residente é pedido que coloque os contentores no exterior das casas nas datas definidas.

Mulher morre atropelada por autocarro na N222 em Vilar de Andorinho

0

Uma mulher de cerca de 80 anos morreu hoje depois de ter sido atropelada por um autocarro em Vilar de Andorinho, em Vila Nova de Gaia, adiantou do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) do Porto.

O acidente terá ocorrido às 11:24, na Estrada Nacional (EN) 222, em Vila Nova de Gaia.

O óbito da mulher foi declarado no local, tendo o corpo sido removido e transportado para o Instituto de Medicina Legal do Porto.

No local estiveram 19 operacionais, apoiados por sete viaturas, segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Lançado concurso público de conceção e construção da nova ponte sobre o rio Douro

0

O concurso público de conceção e construção da nova ponte rodoviária sobre o Douro, que vai ligar o Porto e Vila Nova de Gaia, foi hoje lançado, pelo preço base de 38,5 milhões de euros.

Publicado em Diário da República pela empresa municipal Gestão e Obras Públicas do Porto, o procedimento, que tem também a Câmara de Gaia como entidade adjudicante, fixa em 1.150 dias o prazo de execução para a “Empreitada de Conceção-Construção da Ponte D. António Francisco dos Santos e Acessos”.

O prazo para apresentação das candidaturas é de 30 dias, a contar da data de envio do anúncio para publicação, o que aconteceu na terça-feira.

Depois, a decisão de qualificação das candidaturas termina após 60 dias.

Já as propostas devem ser apresentadas até ao 210.º dia a contar da data de envio do convite, determina o aviso do concurso, hoje publicado.

A Câmara do Porto aprovou, em 24 de maio, com o voto contra da CDU e a abstenção do PSD, a continuidade do procedimento de contratação da empreitada de conceção e construção da nova ponto rodoviária sobre o Douro.

Na reunião, a vereadora da CDU, Ilda Figueiredo, afirmou “não ser aceitável” que, passados quase quatro anos, os vereadores sejam confrontados com “uma completa transformação” do projeto previsto para a ponte.

Em resposta à vereadora, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, lamentou as afirmações feitas por Ilda Figueiredo, defendendo que o tema já tinha sido discutido em reunião do executivo.

Também o vereador social-democrata, Álvaro Almeida, considerou que o processo da nova ponte “tem corrido mal desde o início, atribuindo o “‘show off'” a Rui Moreira.

“Se alguém quis montar um ‘show off’ foi o senhor presidente, que quis convocar uma reunião para uma quinta-feira, dia que não é habitual, sem justificar essa mudança de dia. Só no próprio dia é que percebemos o porquê”, salientou.

Álvaro Almeida disse ainda que a nova ponte “não foi justificada de forma clara”, em particular a razão da sua localização.

Já o vereador Manuel Pizarro, do PS, lançou o desafio à maioria municipal de ponderar a existência de “uma ligação de acesso entre a quota alta e a quota baixa que seja transitável”.

A proposta de autorização surgiu depois de, na reunião do executivo de 13 de maio, os vereadores do PS, PSD e CDU acusarem a maioria municipal de falta de transparência na discussão das opções do traçado para a nova ponte D. António Francisco dos Santos.

No mesmo dia, a Câmara de Gaia, em reunião do executivo aprovou, por unanimidade, o lançamento do concurso público para a conceção e construção da nova ponte sobre o rio Douro apesar do processo ter merecido críticas da oposição.

Quando foi anunciada em abril de 2018, a ponte, que irá ligar Campanhã (Porto) e o Areinho de Oliveira do Douro (Gaia), tinha um custo estimado de 12 milhões de euros, integralmente assumidos pelos municípios de Porto e Gaia, em partes iguais, tendo como prazo previsto de conclusão o ano de 2022.

A nova travessia sobre o Douro ficará a montante da Ponte D. Luís, entre as pontes do Freixo (rodoviária) e de São João (ferroviária), e deverá estar concluída em 2025.

Na proposta que vai a concurso, a ponte terá uma extensão total de 625 metros, 300 dos quais sobre o rio, e um perfil transversal do tabuleiro de 21,50 metros, com separador central e duas faixas de rodagem com duas vias cada, uma ciclovia unidirecional em cada sentido, bem como, passeios.

O custo da nova ponte, incluindo acessos, é de 36,9 milhões de euros – valor a que acrescem 1,63 milhões de euros para estudos.